quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Prosas bárbaras

"Andamos todos sofrendo. Passamos lentos, desconsolados e iluminados pelo sol negro da melancolia. Nem largos rios, nem bênçãos fecundas. A esperança fugiu para além das estrelas, das nuvens e dos caminhos lácteos. Nos corações nascem amores sombrios e loucos. E tudo porque, um dia, nasceu uma criança estranha que foi alimentada com um leite mórbido como a lua e envolta numa túnica lívida como a morte".

Eça de Queirós

Um comentário:

Anônimo disse...

Nossa senhora!!! Você além de linda é muito inteligente. Sortuda quase nada. Um grande beijo do Zé.