domingo, 7 de fevereiro de 2010

Costas de Mulher

Costas de Mulher

Seda,

nuvem,

pluma,

os planetas girando na solidão do vazio,

nada fica mais suspenso no ar

que as costas de uma mulher.

Seus relevos,

curvas,

pontas,

cavidades

e declives

são fragmentos

que voam

dentro

dos olhos de um homem

a cada mínima imensidão

da pele

que ele toca.

É o mistério dos contrários:

escultura sem matéria rígida,

o efêmero da eternidade,

fruto ainda interno mas já aberto

flutuando

no espaço dos desejos.

Fronteira que marca

o instante

de uma mulher

transformando-se

em mulher.

Artista de si mesma,

ela revela,

à luz mais noturna,

as umidades

que derramam-se

com o movimento

dos cabelos,

dos ombros nus,

de toda amplidão do corpo incontido,

desatando,

sem cicatriz,

os sangues

que agora em jorro deflagram suas então invisíveis asas sedutoras.

W.F. Padovani

2 comentários:

ana carla disse...

..procurando textos s/mulheres p/ minha pós, este é o mais lindo texto s/mulher que já vi, parabéns e obrigada por divulgar! vi pelo google, no blog do autor, como mandar mensagem p/ ele, mas voltou. vou tentar mais, merece muito! achei incrível tudo que vi no blog desse escritor que eu desculpe não conhecia...e agora quero muito conhecer!!

Fabiana Mello disse...

Ana Carla, mande-me seu email que passo o contato dele.
Realmente o blog dele é genial.