segunda-feira, 24 de maio de 2010

Mais um ano


Estou ficando velha. Passei dos 30... Nunca achei que isso fosse acontecer comigo. Realmente é uma quase-crise. É uma idade na qual não nos contentamos com pouco mas também não abrimos mão de fazer o que fazia aos 20.

Devo enxergar como uma transição. Para o que, é melhor não pensar. Já sou uma mulherzinha. E só estou agora me dando conta disso.

Olho para minhas mãos e ainda não noto o tempo passar. Quando as observo penso na trajetória da minha vida. Quem me conhece bem sabe disso. É uma espécie de balanço. Penso no passado e realmente percebo que já vivi bastante. Não obviamente o suficiente para morrer com missão cumprida.

Quanto mais o tempo passa, mais tenho a sensação de que não posso perdê-lo. Não se trata de viver intensamente como louca degenerada, mas de parar de escolher o caminho errado. Isso cansa. Dá preguiça. Por isso hoje escolho mais com quem me relaciono, os lugares que frequento, o que como e o que bebo. E não faço mais média com ninguém, falo o que penso. Não sou morna. Virei eu. E não o que querem que eu seja. Nesse ponto, parabéns para mim.

Um comentário:

tha disse...

"Espelho espelho meu existe alguém que reflita tanto como eu?"
Não você não esta só nessa....e cada aniversário é como um ciclo encerrado, cada ano mais velha, mais madura, mais sensata e sensível para perceber as pequenas coisas. Fabiana já te parabenizei mas tbm acredito que qualquer dia pode ser o nosso dia. Se vê que é uma guerreira, de personalidade. E escolher be, significa viver bem. ótimo post, me sinto mais ou menos assim até porque meu ciclo está encerrando e amanhã começo um outro.